A RAÇA GUZERÁ

 

 

A raça Guzerá equivale na Índia à Kankrej. Desenhos e esculturas de bovinos, com mais de 5000 anos, encontrados nas escavações de Mohenjodaro, indicam que este tipo de gado já existia desde então. O Kankrej é criado principalmente na região de Gujarat (Joshi e Philips, 1954), em terras baixas e secas, em geral de solos arenosos, sem árvores. As chuvas (médias anuais entre 500 - 700 mm) se concentram entre julho e outubro e a temperatura varia de 5º C a 50º C. Assim, a rusticidade do Guzerá foi desenvolvida ao longo dos séculos nas condições adversas de sua região de origem, o que favoreceu grande adaptação a outras regiões sub-ótimas do mundo.
       Na Índia, a raça é utilizada para produção de leite e tração, e é tida entre as mais leiteiras do país. Por motivos religiosos, a produção de carne não é explorada. Entretanto, a seleção para o trabalho produziu animais de grande porte e musculatura desenvolvida.
       No Brasil, o Guzerá veio com as primeiras importações de zebu, em torno de 1870, e revelou sua alta capacidade de adaptação e produção de carne e leite. Foi a raça predominante até os anos 30, quando a maior parte dos rebanhos puros foi cruzada para a formação do Indubrasil. Dada sua grande versatilidade de produção e capacidade de imprimir vigor e rusticidade, tem sido intensamente utilizada em cruzamentos. Além do Indubrasil, entrou na formação de diversos grupamentos leiteiros, de corte ou de dupla aptidão, como Tabapuã, Brahman, Pitangueiras, Guzolanda, Guzonel, Simbrasil, etc. O uso intenso prejudicou o crescimento numérico da raça pura, que agora apresenta nova expansão.



Vacas guzerá em ordenha mecânica:


Vacas guzerá na caatinga = rusticidade:

O Guzerá em números/estudos comparativos

       A média de produção de leite do Guzerá controlado oficialmente no Brasil é de 2.347 kg, em lactações médias de 280 dias, com ajuste para idade adulta. Estes são dados obtidos a pasto, nas condições comerciais de criação, nos moldes em que são avaliados os animais do Núcleo Guzerá MOET. Sob manejo especial, produções individuais de 30 a 40 kg de leite em um dia e 9.000 kg por lactação foram observados.
       A idade ao primeiro parto tem sido em torno de 42 meses, em vários levantamentos, com maior precocidade que o Gir.
       Quanto ao tamanho corporal e velocidade de ganho de peso, Guzerá, Nelore, Indubrasil e Tabapuã são semelhantes entre si e superiores ao Gir.

 


Vânia Maldini Penna, professora da Escola de Veterinária da UFMG, doutora em melhoramento animal, coordenadora técnica do Núcleo Guzerá MOET.
Voltar